coisa1 10 coisas legais achadas na web
coisa2 10 cantores e seus repectivos cachês para fazer um show
coisa3 10 lugares que você nunca deverá visitar

10 Perguntas para Nana Gouvêa

banner-lista-entrevistas

Uma coisa é certa, ela não sai da capa de sites de notícias de celebridades e da imaginação de muitos homens.
Polêmica e esbanjando simpatia a atriz Sebastiana Gouvêa Morais, mais conhecida como Nana Gouvêa fala com exclusividade ao Lista 10 sobre sonhos, viver intensamente cada dia e sobre o que há por trás da fama.

1º. Nana, Porque você acha que esta sempre em evidência em portais da internet?
Não sei, as pessoas da imprensa dizem que fala sobre dá ibope, o público diz que me adora, talvez seja uma dessas coisas aliada ao meu desprendimento, recebo à todos da melhor forma que me é possível, jamais me nego a tirar uma foto seja com quem for ou onde for, é claro que como todo ser humano tenho meus dias de mau humor, mas no geral tento ser gentil com todos. Também tenho uma imagem sólida e há muitos anos estou no mundo da mídia e isso me dá, além de uma notoriedade, uma certa credibilidade, penso que gostam disso.

2º. Como você lida com os comentários maldosos que as pessoas fazem sobre sua pessoa?

Não lido, simplesmente só ocupo o meu tempo com minhas obrigações e com as coisas boas da vida. Todo o resto não me interessa, definitivamente não atrai minha atenção.

3º. Como é o seu dia-a-dia?
Cada dia meu é diferente um do outro, não conheço rotina.

4º. Qual o seu maior sonho?
Meu maior sonho é sem dúvida, adotar uma criança (e se ela tiver irmãozinhos, eu adoto juntos), ter mais um filho, e ter tempo pra ajudar com mais empenho na ação social da Casa Padre Pio (local que frequento pra meditações).

5º. Por qual celebridade você tem mais admiração no Brasil?
Não tenho um em especial, adoro todos que conheço e são realmente muitos, ser artista no Brasil é tarefa pra heróis. No mais, normalmente admiro mesmo é gente normal.

6º. Já recebeu alguma proposta indecente?
Não recebo propostas, de nenhum teor, tudo a meu respeito é primeiramente filtrado pela minha assessoria, só chegam a mim as propostas realmente possíveis de se concretizarem.

7º.Você já fez diversos ensaios nus, mas proposta de filme erótico, você já recebeu? Você algum dia faria um?
Nunca recebi proposta pra esse tipo de filme. Minha assessoria não me repassaria caso tivessem tentado, como disse, só chegam a mim propostas possíveis de serem realizadas.

8º. O que um homem precisa fazer para te conquistar?
Absolutamente nada, não sou uma conquistável, as relações simplesmente aconteceram, naturalmente.

9º. Como seria um dia perfeito para a Nana?
Todos os dias são perfeitos pra mim, eu os vivo intensamente.

10º. Quais são seus próximos projetos profissionais?
Projetos são de responsabilidade das emissoras de TV, eu tenho apenas profissão, sou atriz. Estou à disposição no banco de elenco da TV Globo aguardando ser escalada.

Agradecimento especial a Anna Pires pelo seu profissionalismo e simpatia.

Favoritar

10 Perguntas para Philippe Bertrand

banner-lista-entrevistas

Philippe Bertrand é gerente de planejamento da agência DM9DDB e recentemente criou junto a artistas e comunicadores multimídia independentes da C.A.O.S. Coletivo de Amor e Ódio em Segundos, um livro com atualizações automáticas pelo Twitter, intitulado de “Instantes de amor e ódio”.
Nesta entrevista, Philippe ainda fala sobre o atual cenário do mercado publicitário.

1. No que consiste seu novo projeto Amor e Ódio?
Criamos um livro vivo chamado “Instantes de amor e ódio”. É um livro vivo porque se atualiza automaticamente com conteúdo do Twitter.
Ele é 100% escrito em QR codes  – códigos 2d que só podem ser lidos pelo celular. Ao decodificar os QR Codes, o celular lê um waplink que direciona a um wapsite com o conteúdo do livro.

2. Dê onde surgiu a ideia de criar este site?
Nosso coletivo foi criado a pedido de uma agência de propaganda, numa estratégia para divulgar uma livraria online (editorasonline.com.br). A proposta era criar um “livro como a internet”, que só pudesse ser encontrado na editorasonline. Depois de muito pensarmos, chegamos nessa solução de um livro de conteúdo auto-atualizável, viabilizada com uma tecnologia já existente, mas nunca utilizada para esse propósito.

3. Como você vê hoje as mídias socias no mercado publicitário?
Agências, anunciantes e empresas de pesquisa, todos estão procurando entender o que são as redes sociais, como funcionam e como interagir com elas. É um tremendo desafio. Mas parece sim existir um caminho interessante para essa relação. As marcas podem oferecer conteúdo, entretenimento, ferramentas aplicativos. Funcionalidades que vão melhorar a experiência do usuário. Mas o que existe de mais interessante nas redes sociais é: lá quem manda e desmanda são as pessoas. É o espaço delas. Não existe controle. E isso fomenta um novo jeito de pensar comunicação.

4. Com a crise do New York Times, você acredita que o jornal possa ser extinto em breve?
Tudo indica que não serão extintos, mas precisam reinventar seu modelo de negócio. A internet quebrou estruturas comerciais relacionadas ao “direito autoral” e isso precisa ser revisto. A diferenciação pela qualidade da informação provavelmente é o caminho para a sobrevivência. Outra grande mudança é a da velocidade da informação. Hoje o jornal impresso sofre por ter notícias do dia anterior, mas por que não conectá-lo à internet através do celular ?(como fizemos com nosso livro)

5. No futuro uma mídia poderá ser substituída por outra?
Difícil dizer. Hoje o que vemos é uma complementaridade nos meios cada vez maior. A experiência que se tem com uma Televisão não é a mesma que se tem com uma TV de Internet. Mas tudo dependerá do grau de desenvolvimento tecnológico que os meios atuais atingirem (ou se surgirem novos meios de comunicação).

6. Atualmente, qual o meio mais eficaz de se chegar ao público alvo dos clientes?
Ouvindo, respeitando a opinião das pessoas, respondendo, se relacionando. Um bom jeito de começar é não mais tratar os consumidores como público-alvo. Atingi-los com uma mensagem talvez não seja suficiente. É preciso criar uma experiência.

7. Depois da crise econômica, quais as estratégias que os grandes anunciantes têm adotado em relação a publicidade?
Notamos um crescimento considerável nos meios digitais. Esse parece ser um caminho cada vez mais forte na mídia.

8. Há quanto tempo você trabalha no mercado publicitário?
Somos um coletivo de diversas pessoas, com bagagens diferentes. Alguns mais ligados à publicidade, outros ao design, outros à cinema. Cada um com uma quilometragem rodada diferente.

9. Quem foi seu grande mestre?
Um grande mestre é Hakim Bey, escritor do livro TAZ – Zona Autônoma Temporária.

10. Qual foi o momento mais curioso que você já passou em sua carreira?
Eu diria o mais interessante. Foi ter criado um livro vivo. Uma idéia que teria como objetivo divulgar uma livraria online, mas que se mostrou muito maior do que esse propósito. Uma idéia que aponta novas possibilidades para literatura, educação e jornalismo. Isso foi uma surpresa para todos nós.

Favoritar

1