10 formas de ajudar uma pessoa que pensa em suicidar

Setembro é o mês de combate ao suicídio. É preciso quebrar o tabu e falar sobre o assunto. Divulguem o telefone 188 destinado a ajudar essas pessoas. Confira agora 10 formas de ajudar uma pessoa que pensa em tirar a própria vida.

[read more] .

10. Pergunte a ela sobre esses pensamentos
Um mito da prevenção do suicídio é falar que se o assunto for abordado com a pessoa pode aumentar a chance dela comete-lo. Em vez de evitar o assunto, é recomendado que pergunte com muita compaixão sobre as coisas ruins que ela pensa. Dependendo da resposta, a pessoa tem que está disposta a ouvir e direciona-la a um especialista que possa ajuda-la se livrar desses pensamentos.
.

9. Diga o quanto a ama
O amor é uma arma infalível. É o sentimento mais nobre que um ser um humano pode ter. Diga a essa pessoa o quanto é amada, importante e especial, da forma mais sincera que você puder expressar.
.

8. Tente tirar ela de casa e fazer outras atividades
Mesmo que nada faça sentido, geralmente pessoas com depressão relatam a falta de interesse no mundo. Mesmo assim é importante ocupar o tempo dessa pessoa seja com pequenos passeios, atividades domésticas sem risco, atividades físicas ou intelectuais ou espirituais. Liberar endorfina no sangue traz a sensação de bem-estar.
.

7. Leve-o para uma consulta médica
Não deixe de procurar ajuda médica.
Um médico especialista está habilitado a ajudar com terapias e remédios. Dê seu apoio ajudando a pessoa marcando as consultas, acompanhando-a nas visitas médicas . Ter uma pessoa de confiança ao lado e muito importante para a pessoa não se sentir abandonada e insegura.
.

6. Ocupe essa pessoa
Se a pessoa não consegue socializar ou sair de casa, trabalhos manuais como pintura, jogos, leitura e filmes de gênero romântico, comédia também ajudam a ocupar a mente e o tempo. Se a pessoa ainda consegue sair de casa, dê-lhe tarefas como ir ao banco pagar uma conta, no supermercado comprar alguma coisa, acompanhar-te em idas ao shoppings, festinhas, reuniões.
.

5. Converse sobre o lado espiritual
Aborde assuntos sobre crenças espirituais. Mas atenção, muito cuidado para não fazer julgamentos ou menosprezar aquilo que a pessoa crê. Importante é deixar a pessoa conectar-se com suas próprias crenças e assim fortalecer a fé. Sem sermões, sem pregações e discussões religiosas. A ideia é ajudar a pessoa a buscar respostas dentro de si de acordo com seus valores pessoais.
.

4. Não minimize qualquer conversa ou autodepreciação
É compreensível querer menosprezar o comportamento errático ou ofensivo da pessoa. É muito difícil aceitar que uma pessoa querida esteja pensando em se suicidar.  Mas não podemos menosprezar os alertas comportamentais, recomenda-se que você fale sobre esses pensamentos abertamente e deixe que eles saibam que você leva esse assunto muito a sério.
.

3. Não subestime tentativas de chamar atenção
Os gritos de socorro são sutis em alguns casos. A pessoa pode está levando aparentemente uma vida normal, mas pensando em atentar contra a própria vida. Então não ignore ou subestime a capacidade do outro de se machucar. Fique alerta as conversas, a rotina, os interesses dessa pessoa.
.

2. Ofereça seu contato caso ela precise
Deixe sempre seu contato a mão para que em uma emergência essa pessoa tenha como lhe achar. Vale deixar lembrete na geladeira, perto de um telefone fixo e no celular, assim como seu contato de e-mail. Anote também o telefone 188 do Centro de Valorização a Vida e do médico responsável pelo tratamento da pessoa.
.

1. Fique atento aos sinais
Depressão, tristeza excessiva, ansiedade, bipolaridade, síndrome do pânico são doenças. Não é frescura, não vai passar logo sem tratamento adequeado. Fique sempre alerta ao seu redor e qualquer alteração na rotina, no comportamento, seja de um amigo, familiar, parente, conhecido, não hesite em oferecer e procurar ajuda. O número de telefone 188 também dão apoio a quem não sabe lidar com a situação. A melhor prevenção é o amor.

[/read]

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *